Por Que Você Ainda Come Mal?

Atualizado: Fev 17


Quando finalmente descobrimos o poder da nutrição para nos curar da depressão, da ansiedade e de outros tantos de humor e também doenças, a vida muda.


A nutrição pode, literal e metaforicamente, nos trazer cura.


Mas às vezes ainda sim, não comemos bem. Mesmo quando experimentamos um pouco de cura, ainda não procuramos por alimentos saudáveis. Por quê?


Para acessar mais cura, precisamos aumentar nossa compreensão sobre nutrição com uma melhor compreensão de como lidamos com o estresse.


Pois mesmo sabendo que as suas escolhas alimentares lhe fazem sentir bem e até mesmo diminuem ou eliminam a necessidade de medicação, você ainda decide consumir alimentos que não tem fazem bem. Por quê?


Quando você está sob estresse, você fica descomprometida com a sua vida e claro que você não vai conseguir controlar a sua alimentação mesmo sabendo que ela pode te curar.


A cultura da dieta ensina para nós que essa inconsistência nas escolhas nutricionais é apenas uma falta de força de vontade e disciplina. “Ahh ele/ela não tem força de vontade!”, você já deve ter ouvido isso. E por isso muita gente não consegue cumprir seu protocolo de alimentação. Mas isso é um ponto de vista limitante.


Essa “batalha” coletiva de nossa cultura com a comida e nossos corpos não é apenas uma palavra. É uma estratégia.


Há tanto que se preparar para não comer, dizer ou fazer a coisa errada que o efeito disso é que nos relacionamos com a nossa comida, corpo e vida a partir de uma perspectiva de conflito, de batalha!


Estamos em uma batalha psicológica com a comida e nossos corpos quando usamos as palavras "deve" ou "tem que".


Esses medos são o freio em nossa cura. Nós queremos comer bem. Queremos que a energia aumente e se mova. Também não queremos ser julgados.


O esgotamento e o não-cumprimento de estar constantemente em alerta transformam comida em refúgio. Aí que mora o perigo!


Mas existe solução!


Há maneiras claras de reagirmos ao conflito. Quando esses padrões se tornam conscientes, ou seja, torna-nos conscientes do o porquê estamos fazendo tais escolhas, podemos então parar de lutar e escolher agir de forma diferente.


Pergunte-se:



Quais são seus gatilhos, sentimentos e padrões quando você está lidando com o estresse?



E como isso afeta as suas escolhas de alimentação?


Tenha consciência do quanto o estresse que você está passando em sua vida afeta as escolhas ruins em termos de nutrição. Assim fica mais fácil levantar a bandeira branca nesta batalha, indo na raiz do problema que disparou o estresse e dessa forma, mudar o jeito de como você se alimenta.