O medo é um sinal de ir e não um sinal de parada

No mês passado, escrevi no meu blog sobre como fazer o que você precisa fazer, mesmo que você tenha medo. E compartilhei uma história pessoal sobre isso e, há algumas semanas, compartilhei outro post sobre fazer algo que te assusta. (Se você quiser ler tudo de novo - clique aqui e aqui).




E ontem, ouvindo o canal do YouTube e o podcast Impact Theory, fiquei impressionada com o que John Assaraf compartilhou sobre como lidar com o medo e entendê-lo como um sinal de ir e não como um sinal de parada. Isso ressoa muito com o que escrevi antes.


Então, decidi compartilhar um pouco do que ele disse, já que é tão valioso e também um rápido exercício que você pode fazer para lidar com essa emoção. Aqui vai:


O medo é uma emoção. As emoções são todos gatilhos do nível subconsciente. Eles liberam neuroquímicos que causam uma emoção. Estamos conscientemente atentos dos sentimentos que são desencadeadores do nível subconsciente. Sentir é o ponto final da experiência humana no corpo físico.


Emoções e sentimentos não são positivos ou negativos. Eles são empoderadores ou não.


Quando você começar a se encher de perguntas do tipo " e se" como, “E se eu não sou boa o suficiente? E se eu não conseguir? E se, e se, e se..." e assim o medo se instalar, o que você fará para lidar com isso?


1. É normal sentir medo. Então, primeiro acalme-se para pensar mais claramente.


2. Se for a sensação for desagradável (especialmente no corpo físico), faça 6 respirações profundas (inspire pelo nariz e expire pela boca).


3. Então faça a si mesma as seguintes perguntas: O que estou pensando agora? O que estou sentindo agora? Qual é o meu comportamento agora? Qual é a minha intenção agora?


Intenções são muito importantes. Intenções fazem você avançar. Ir para frente. E a ideia aqui é não deixar o medo te paralizar. É ele ser um sinal de você pode avançar, com precaução e atenção, é claro.


Para avançar, você precisa dar um pequeno passo, uma pequena ação que você pode executar agora e que o seu cérebro pode suportar. Se você der um passo adiante, a resposta à ameaça desaparecerá.


Mas se você se concentrar apenas no processo final, você disparará instantaneamente a resposta ao estresse. As dores ativam o cérebro mais rapidamente para um mecanismo de sobrevivência.


John Assaraf sugere aprender a gerenciar sua mentalidade, no que você foca, aprender a gerenciar suas emoções, porque elas direcionam seu comportamento mais do que qualquer outra coisa.


Amei!


O que você acha?