Hábitos Alimentares das Crianças

Atualizado: 7 de Ago de 2019


Esse assunto, que é sempre algo que os pais se preocupam, mas, ao mesmo tempo, por falta de tempo ou conhecimento, deixam os hábitos alimentares para a escola ou para os médicos, que adivinhem? Eles não podem ajudar muito, na verdade, em alguns casos, tornam o cenário ainda pior.

Primeiro de tudo, é importante saber que as crianças imitam seus pais. Se você comer porcaria, mas diz ao seu filho para comer brócolis, qual opção que ela vai fazer? Fast food, claro. Os pais são o exemplo para as crianças, especialmente entre 1 aos 7 anos de idade. Se você quer que seu filho comece a comer bem e saudável, você deve começar com seus hábitos alimentares primeiro.


Outra responsabilidade dos pais é quando se trata do que você tem na sua despensa. Novamente, se você comprar refrigerante, biscoitos e cereais açucarados e dizer "é apenas para fins de semana", por exemplo, isso realmente não importa. Se você vai colocar na sua casa comida ruim e esperar que seu filho não a consuma, você está sendo no mínimo ingênuo.

Mais um ponto importante sobre a construção de hábitos alimentares de seus filhos é a TV! Se eles assistem muita TV eles serão bombardeados por anúncios e o incrível marketing da indústria de alimentos “do mal” mostrando o picolé sabor rosa-unicórnio-melancia, cereais com todas as cores que você pode imaginar e a água com açúcar que você acha precisa. É difícil lutar contra eles. Eles não estão apenas na TV, mas também estão nos corredores dos supermercados, na escola e na casa de seus amiguinhos. Como transformar o brócolis, sobremesa sem açúcar e água como algo tão divertido quanto todas as opções coloridas, açucaradas e fáceis de comer? Sendo decisivo, planejando e aprendendo a dizer não aos seus pedidos mais fofInhos e cortar a porcaria da sua vida. Seja corajoso(a), você consegue fazer isso! 😊


AÇÚCAR! Este ingrediente doce não traz resultados tão doces em nosso corpo e, consequentemente, em nossa saúde. Estudos têm mostrado que o açúcar está ligado ao aumento do TDAH, depressão e autismo em crianças. Só para se ter uma ideia, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) nos EUA estima que 1 em 68 crianças nos EUA tenha autismo. Quando se trata de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), quase 1 em 10 tem o transtorno nos EUA, um número de 6,4 milhões de crianças e um aumento de 42% nos últimos oito anos! E em 2015, cerca de 3 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos tiveram pelo menos um episódio depressivo importante no ano passado, de acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos nos EUA.

Agora, vamos olhar para o consumo de açúcar por crianças. De acordo com um artigo da CNN em 2017, quase dois terços das crianças nos Estados Unidos consumiram pelo menos uma bebida açucarada em um determinado dia - e cerca de 30% consumiram dois ou mais por dia - entre 2011 e 2014, segundo o estudo feito pelo Centro Nacional para Estatísticas de Saúde do Centro de Controle e Prevenção de Doenças nos EUA.

Quando cruzamos essas estatísticas de TDAH, autismo e depressão entre crianças com o número de consumo de açúcar nos últimos 7 anos, é mais do que CLARA a ligação entre esses transtornos, TDAH, autismo e depressão e açúcar, certo?

A Associação Americana do Coração recomenda que as crianças não consumam mais do que cerca de 6 colheres de chá (25 gramas) ou 100 calorias, de açúcar por dia. Com isso em mente, veja estes números:

  • Coca-Cola (1 lata): 39 g (9 1/3 colheres de chá) de açúcar

  • Barrinha de Granola (1 barrinha): 8 g (2 colheres de chá) de açúcar

  • Cereal matinal (1 tigela): 37g (9 colheres de chá) de açúcar

  • Bolinho, daqueles processados (só 1 pequeno): 43 g (quase 11 colheres de chá) de açúcar

Estes números não te assustam? Se for recomendado que as crianças consumam cerca de 6 colheres de chá (25 gramas) de açúcar por dia, como uma tigela de cereal matinal já são mais 3 colheres de chá a mais do que o consumo diário recomendado? Pense sobre isso!


Como as crianças podem comer melhor e mais saudável?

Para te ajudar, vou compartilhar algumas dicas para ajudar você e seus filhos a aprenderem a comer alimentos nutritivos. Vamos lá:

1) Como mencionei, a maneira como seus filhos comem é responsabilidade dos pais, ou seja, sua! Para começar a mudar o modo de comer das crianças, você deve mudar o seu primeiro.

2) Para começar essa mudança, comece com sua despensa. Confira todos os produtos que você tem. Se você tiver biscoitos, cereais açucarados, bolos, batatas fritas, refrigerantes ou qualquer alimento processado cheio de açúcar, sódio, óleos ruins (canola, milho, soja ...), basta movê-los para o lixo, onde eles pertencem. Sim, nem pense em doar, porque eles não são comida!

3) Agora liste todas as refeições que você faz em um dia. Você e seus filhos. De onde vem a sua comida? Tente comer o quanto puder em casa! Deixando para comer fora apenas em ocasiões de emergência.

4) A mesma coisa vale para alimentos processados. Lasanha congelada, sopa instantânea ... qualquer coisa processada, que contenha nomes esquisitos que você não consegue pronunciar, simplesmente elimine de suas vidas.

5) Em vez disso, escolha alimentos integrais, comida de verdade, comida fresca! Compre localmente tanto quanto você puder. Você não precisa comprar muito. Apenas compre o que você consumirá na semana, por exemplo.

6) O açúcar, como mencionei, é responsável por muitos transtornos, incluindo transtornos mentais. Então, não tenha esse ingrediente do mal em casa. Substituto por mel, mel cru, xarope de bordo, açúcar de coco ou stevia. Adoçantes naturais com mais benefícios nutricionais. Mas lembre-se, eles ainda são algum tipo de açúcar! Então, não exagere!

7) Reduzir o quanto você pode o contato dos seus filhos com alimentos não saudáveis ​​fora de casa. Isso significa escola, casa de amigos, eventos, festas e família (especialmente a casa dos avós rs). Antes de ir a algum lugar, faça uma refeição saudável em casa, assim você reduzirá, pelo menos, a fome e alguns desejos por doce.

8) Convide seus filhos para fazer parte da preparação das refeições. Quando eles aprendem como preparar algumas refeições básicas e provam, cheiram e veem comida de verdade, esta informação estará em sua memória para sempre.

9) Você novamente é responsável pelo o que seus filhos comem. Isso significa que você também tem a autoridade para dizer: "experimente isso", "veja como essa cenoura é deliciosa" e não dê a eles a chance de dizer que só querem comer o que querem.

10) Mesmo que eles tenham que comer o que você prepara para eles, às vezes você pode perguntar algo que eles desejam comer. Dessa forma você vai dar poder a eles também. Encontre opções saudáveis ​​e prepare-as sem dizer: "isso é saudável". Basta dizer "isto é o que você pediu!"

Se você precisar de mais ideias, me dê um alô! Eu adoraria ajudar você.



#crianças #alimentaçãosaudável